Explicando erros que nada importam no contexto

Isso aqui se tornou a minha privada, sentimental ou não, geralmente de vômitos e cagadas cheios de odio, tristeza e algumas lagrimas secas de amor. This has become my sentimental(or not) toilet bowl, usually vomit and shit filled with hate, sadness and some dry tears of love.

29.8.11

The whole world become so cold

I have been waiting impatient for a new message from her, that smile with a slight cleft in her chin, I want to bite and kiss it. How can I do this?

The rocks in my way that I kick off and hit the ground like a meteor, full of color as the happiness that she brings me, and all that goes so far with her, where it's hot and here is so cold, just as the tracks that the life gives me.

...And without her by my side the whole world become so cold.

14.8.11

And reruns all become our history



You grew up way too fast
And now there's nothing to believe
And reruns all become our history

9.8.11

A maior 'burrada' da minha vida!

...E eu tinha decidido ser mais duro, mais turrao, racional... mas nao eh assim que acontece e nunca acontecera.
Deveria ter feito a maior 'burrada' da minha vida quando estava perdidamente apaixonado. Deveria ter dado menos valor ao respeito, que pelo jeito nao importou ou continua nao importando. A pessoa que eu mais respeitei os desejos, compreendi os desejos dela, agora me parece uma pessoa automatica e programada a apertar apenas o Alt+F4. Quero aprender e entender esse sistema que compoe a mente dela que mais parece uma montanha russa, nunca estavel, sempre se confundindo com decisoes mais simples e claras, tao claras e simples que nao capem na logica matematica, esse sistema nao eh logico mas eh feito de codigo binario que se embaralha toda vez que tento fazer a maior 'burrada' da minha vida!

3.8.11

Pacífico

Minhas considerações, palavras de efeitos, sentimentos ignorados, desejos postos em baixo de um monte de papel velho e amarelado, emails que foram apenas lidos, pura razão burra! Suas desculpas nunca foram propriamentes escritas, sempre jogadas ao vento, do qual me leva os pensamentos, nesses dias cinzentos que só o céu do pacífico me faz sorrir. Ironicamente este oceano imenso se encontra entre nós, querendo ou não estou sorrindo em sua direção, mas o que tudo isso significa sem ao menos saber se você sorri para o maior oceano da Terra, que é tao grande quanto o meu amor? Sem horizontes o céu vai se escurescendo, a água amargando, o vento azedando, e eu vou me distanciando quando parecia estar mais próximo!