Explicando erros que nada importam no contexto

Nao vou mais me importar com acento circuflexo e agudo, til, trema e ate mesmo cedilha, nao tenho aqui um teclado apropriado para isso. Me desculpem professores e a lingua portuguesa e brasileira.

9.2.10

Escuridão, o elo perdido

Assim se faziam arrancar os dentes, murros e chutes, numa dessas até os braços se partiam em dois, ansia.

Aquele asfalto nunca antes tinha se umidecido de sangue em alta quantidade, as faixas que eram brancas se tornaram vermelhas brilhantes, ansia.

O inescrupulo ja era mais do que normal.

Os pneus patinavam por cima do pó, branco, fareloso, só o osso, ansia.

Os dedos se apertavam de maneira a estalar as juntas de ódio, os dentes rangiam como que se quisesse estrangular. A vista escurece...


Escuridão, o elo perdido.

Abro o olho e ainda escuro. Respiro fundo tão alto que mais parece que estava num alto-falante.

E tudo aquilo não passava de um sonho insano.

1 comment:

The Rogue said...

Já sonhei acordada com algo bem parecido...