Explicando erros que nada importam no contexto

Isso aqui se tornou a minha privada, sentimental ou não, geralmente de vômitos e cagadas cheios de odio, tristeza e algumas lagrimas secas de amor. This has become my sentimental(or not) toilet bowl, usually vomit and shit filled with hate, sadness and some dry tears of love.

28.12.09

Sempre pra sempre verdadeiro

Não significa que fico escrevendo e profetizando e poetisando, falando de coisas que talvez pra você tenha um significado apenas, ou que talvez não signifique nada por enquanto, que tudo isso seja pra uma pessoa, que isso tudo seja pra um proposito, que isso tudo aconteça por acaso ou por que quero simplesmente, que tudo isso que eu escrevo seja inutil ou seja util apenas pra uma pessoa. Não. Isso só tem uma razão, que vem do meu profundo e eterno sentimento de me fazer amar e ser amado, ser compreendido, pois a solidão que todos possuem, em mim se a flora e me inspira, me transcende, me torna mais humano e muito mais compreensivo.

Sua solidão nada vale se você é cercado de pessoas que te enganam com falsos sentimentos, falsas idéias, falsas ações... que pra você pode significar algo agora, mas no futuro o que permanecem são os verdadeiros sentimentos, verdadeiras idéias, verdadeiras ações(por mais que sejam reprimidas e incompreendidas). Por isso acredito nos meus príncipios, plantei-os, e vou colhe-los!

Livre liberdade que assombra minha mente, mente essa que cansou dos mesmos hábitos, das mesmas condições. Salvo sempre por uma mente realista mas acima de tudo possitivista, que sabe lembrar de coisas boas apenas, coisas boas de pessoas boas(por mais orgulhosas que elas sejam). Agradeço por elas existirem, compreendo, aprendo, e tento não fazer com os outros o que elas fizeram comigo.

Sempre um desabafo para o descaso, sempre uma causa por um amor, sempre um descaso por causa de um impulso, sempre o pra sempre verdadeiro do que o nunca que nunca é verdadeiro.

Faça sua escolha, eu ja fiz. Morrerei no sempre pra sempre verdadeiro.

27.12.09

É...

difícil perder-se. É tão difícl que provavelmente arrumarei depressa um modo de me achar, mesmo que achar-me seja de novo a mentira de que vivo."

Clarice Lispector

19.12.09

O pior é que eu gosto muito de você

Outro dia, do nada, ela me aparece com uma conversa estranha, que a princípio me agradou, e muito; de que havia sumido por vários motivos, não só por que estava namorando mas pelo TCC, pediu desculpas e veio me dizer:

- O pior é que eu gosto muito de você! você tem um coração de ouro...

Mas eu por ser bobo, bonzinho ou ingenuo, ou os 3 juntos, não me atentei a um detalhe, ao "o pior é que..." e só dei importancia para o "gosto muito de você". Quando me deparei com esta situação ja era tarde para voltar no assunto, mas em meio a conclusão que ela namora e eu não, percebi que ela não está feliz com o "tal".

Ela com seus 20 e poucos e ele com uns 30 e tantos, é justificável que ele só queira saber de uma coisa (que pra ela não é tudo) e isso a cansa. Cansa a ponto de me dizer:

- O pior é que eu gosto muito de você! você tem um coração de ouro...

Parando pra pensar, eu ainda sou apaixonado por ela, pela cor de pele dela, pelo cheiro dela, pelo sorriso dela, pelo jeito dela, pelo nome dela, pela beleza dela. Está bem, exagerei um pouco por que sei que um dia ela vai ler isso, mas duvido que ela vai me arrumar um tempo pra que possa dizer isso e muito mais ao pé da boca e do ouvido dela ao vivo e a cores.

7.12.09

Respiração circular

Assim alguns chegam ao transcendentalismo, com respiração circular, técnica usada por muitas pessoas como elevação espiritual e carnal. Usado principalmente pelos orientais, iogues, monges tibetanos e zen. Esta técnica é usada também por aborígenes da Austrália e Tasmania com a utilização do Didgeridoo, instrumento de sopro feito de eucalípto australiano.


Aí está um video de dois tocadores de didgeridoo e um de hang drum, harmonia perfeita!




A técnica consiste em inspirar pelo nariz e espirar pela boca com intervalos pequenos, oxigenando o cérebro, causando um certo tipo de elevação, como se fosse um quase desmaio, mas consciente. Dizem ainda que o uso continuo do instrumento durante uns minutos criasse um tipo de "elo", essa é a sensação da elevação espiritual e carnal que proporciona a respiração circular.

Ainda quero um Didgeridoo, acho o som hipnotizante e transcendental, quando eu aprender, hipnotizo vocês! auhauhauha

ॐ Namastê